Separação correta do lixo é responsabilidade de todos

Por que separar o lixo é tão difícil?
Por que separar o lixo é tão difícil?
2 de julho de 2018
Problemas na coleta de lixo de São Roque continuam a incomodar população
Problemas na coleta de lixo de São Roque continuam a incomodar população
2 de julho de 2018

Em Lucas do Rio Verde a coleta é mecanizada e encaminhada para o Ecoponto

Você sabia que em Lucas do Rio Verde são produzidas em média 52 toneladas de resíduos por dia? É aproximadamente 1kg de resíduo por habitante ao dia, totalizando uma quantidade média mensal de 1.574 toneladas.
Para recolher todo este material, o município conta com a coleta mecanizada. O sistema inovador conta com um par de contentores a cada 80 metros nas ruas da cidade, sendo um para resíduo reciclável (azul) e outro para úmido (laranja). Ao todo, são 3.700 equipamentos distribuídos. Para efetuar este trabalho, nove caminhões fazem a coleta e dois de limpeza de contentor.
Os resíduos coletados são encaminhados para o Ecoponto. No local, o lixo úmido passa por transbordo e pesagem e é encaminhado para um aterro sanitário licenciado.
Já o reciclável, é separado por mais de 10 famílias que fazem parte da Associação dos Coletores de Materiais Recicláveis de Lucas do Rio Verde (Acorlucas). Neste ano, a média mensal de materiais recicláveis comercializados pela Associação foi 42,46 toneladas.
Leia:  Parque dos Buritis é atingido pelo fogo em Lucas do Rio Verde

De acordo com o presidente de Acorlucas, Rosivaldo Cruz Santos, as pessoas precisam contribuir com este trabalho separando corretamente os materiais em casa. “A importância da separação do material reciclável é a pessoa estar contribuindo para o bem do meio ambiente, como também para o bem dessas famílias que trabalham no Ecoponto, que sobrevivem desse trabalho”, explica.

O diretor do Saae, Raimundo Dantas, destaca que quando as pessoas não fazem a separação correta, além de causar danos ao meio ambiente, aumentam as despesas para destinação deste lixo. “O nosso resíduo úmido é encaminhado para um aterro, nós pagamos por este serviço, e quando não acontece a separação correta, junto com o lixo úmido são levados esses materiais recicláveis. Isso é prejudicial para o meio ambiente e para os cofres públicos porque acaba gastando um valor maior por um material que não deveria estar lá, mas sim recebendo um destino correto e sendo comercializado pelas famílias da Acorlucas”.

Site desenvolvido por:

Logo da Arte de Designer - Agência WEB - www.artededesigner.com
Abrir whatsapp
Posso lhe ajudar?