81% dizem separar o lixo, mas assunto ainda é desafio

coleta de lixo seletiva nas escolas
Dezesseis escolas do Barreiro vão contar com a coleta seletiva do lixo
16 de setembro de 2017
Lixo Oceanos
Brasil adere à mobilização mundial para combater o lixo nos oceanos
26 de setembro de 2017

Entre as quase 200 pessoas que participaram de pesquisa desenvolvida por estudantes de Administração da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) Venâncio Aires, 81% afirmam separar o lixo em casa. Apesar de ser um indicativo da conscientização da comunidade, a separação do lixo ainda é um tema que desafia gestores públicos e moradores.

Todo lixo recolhido no município passa pela esteira de triagem, onde trabalhadores da usina separam o que é reciclável
Foto: Juliana Bencke / Folha do Mate
Todo lixo recolhido no município passa pela esteira de triagem, onde trabalhadores da usina separam o que é reciclável

Das cerca de 30 toneladas de lixo que chegam, por dia, à Usina de Triagem de Resíduos de Venâncio Aires, no máximo 10% são encaminhados para a reciclagem. Para a estudante de Engenharia Ambiental e coordenadora da usina, Tailane Hauschild, apesar de a maioria das pessoas afirmar, na pesquisa, que separa o lixo, há hábitos que ainda precisam ser modificados para reduzir a quantidade de lixo que vai para o aterro sanitário de Minas do Leão.

Se o lixo vier em sacolas separadas já ajuda muito. Isso aumenta o percentual de lixo encaminhado para reciclagem e diminui custos e a quantidade levada para o aterro.' Tailane Hauschild coordenadora da Usina de Triagem de Resíduos
Foto: Juliana Bencke / Folha do Mate
Se o lixo vier em sacolas separadas já ajuda muito. Isso aumenta o percentual de lixo encaminhado para reciclagem e diminui custos e a quantidade levada para o aterro.’ – Tailane Hauschild coordenadora da Usina de Triagem de Resíduos

A mistura de materiais recicláveis com lixo orgânico e rejeito é o que dificulta o trabalho das 11 pessoas que atuam na usina de triagem e o encaminhamento de mais materiais para a reciclagem. ‘Não vencemos abrir todas as sacolas na esteira para separar o que é reciclável’, explica Tailane.

De acordo com ela, quando chegam à usina as cargas de coleta seletiva – caminhões verdes que recolhem o lixo seco nos bairros e no interior -, o percentual de aproveitamento do material chega a 80%. Entretanto, mesmo nessas sacolas, nas quais deveriam estar apenas materiais recicláveis, encontram-se resíduos orgânicos, restos de galhos e folhas, papel higiênico e roupas.

A orientação é de que as pessoas separem o lixo em sacolas diferentes e respeitem o dia correto da coleta seletiva (lixo reciclável) e da convencional (orgânico e rejeito). ‘Isso seria um grande passo. Se o lixo chegar aqui em sacolinhas separadas, conseguiremos abrir as de material reciclável na esteira e separá-lo. Quando o orgânico vem em uma sacola só dele, percebemos que é pesado e já nem abrimos. O grande problema é que no meio do lixo orgânico há materiais recicláveis’, explica.

Redução
Para o secretário municipal de Meio Ambiente, Clóvis Schwertner, reduzir o lixo orgânico em Venâncio Aires é fundamental para ampliar a quantidade de resíduos encaminhado à reciclagem e reduzir os custos com lixo. Por isso, a pasta tem estimulado a adoção de composteiras nas residências, nas quais os moradores podem transformar cascas de frutas e legumes, erva e folhas, por exemplo, em adubo orgânico.

De acordo com Schwertner, apenas o rejeito deveria ir para o aterro de Minas do Leão, mas o local acaba sendo o destino do lixo orgânico produzido em Venâncio Aires e de parte do lixo seco que se mistura com o orgânico e não consegue ser retirado para a reciclagem.

Precisamos trabalhar pela redução da quantidade de lixo e dos resíduos orgânicos. Temos um déficit anual de R$ 2 milhões com o lixo, mesmo com as taxas pagas pela população

Clóvis Schwertner
secretário municipal de Meio Ambiente


Faça em casa
A coordenadora da Usina de Triagem de Resíduos de Venâncio Aires, Tailane Hauschild, sugere que a população adote três lixeiras, em casa, para auxiliar na destinação correta do lixo. O lixo seco deve ser descartado nos dias da coleta seletiva e o rejeito e o orgânico nos dias de coleta convencional.

Seco/seletivo – Embalagens plásticas, papel, garrafas PET, alumínio, vidro, caixas de leite. Esses materiais podem ser separados, na usina, e encaminhados à reciclagem.

Rejeito – Tudo aquilo que não pode ser reciclado e é encaminhado ao aterro sanitário: sacolas engorduradas, restos de comida com sal, ossos, papel higiênico, fralda, absorventes, esponja de aço, fita adesiva, fotos, restos da limpeza da casa, plástico de embalagens de carne.

Orgânico – Restos de frutas e verduras, cascas de legumes, filtro de café, erva, grama e folhas. O ideal é que esses resíduos fossem utilizados em uma composteira, que os transforma em adubo orgânico. Caso não seja possível, devem ser encaminhados à usina em uma sacola só para eles, para que não sujem o lixo reciclável.

Site desenvolvido por:

Logo da Arte de Designer - Agência WEB - www.artededesigner.com
Abrir whatsapp
Posso lhe ajudar?