Gari coleta sem contentores de lixo
Coleta de lixo no Recife volta ao normal
17 de abril de 2017
Coleta sem contentores de lixo
Moradores reclamam de atraso na coleta de lixo em bairros de Cuiabá
5 de maio de 2017

Para jogar o lixo fora na Alemanha, país que mais recicla no mundo, é preciso seguir uma série de requisitos. Há contêineres específicos para cada tipo de resíduo e calendários anuais de coleta. Jogar tudo num saco de plástico preto – restos de comida junto com papel, plástico e vidro quebrado – é ilegal na Alemanha. A separação do lixo – “Mülltrennung” – é tão meticulosa que saber onde descartar uma garrafa de vidro de cor azul, uma caixinha de leite ou o saquinho de chá poderá se tornar um dilema.

Reciclar o lixo na Alemanha é lei. O descarte de resíduos foi regulamentado em todo país em 1972, mas as primeiras leis surgiram já no século 19. A lei da reciclagem, hoje em vigor, prevê multas para quem não faz a separação de forma correta.

Lidar com o lixo é um exercício diário. Em casa, é preciso ter espaço para separar plástico e metais leves, que vão para o tonel amarelo; papel, para o tonel azul; lixo orgânico, que vai para o verde ou marrom e o que não pode ser aproveitado, que acaba no latão cinza. Os cestos para cada tipo de lixo ficam na frente das casas e dos prédios.

Jogar papelão no contêiner alheio, por exemplo, e ainda no tonel errado pode gerar multa. Não duvide que um vizinho ou um fiscal da prefeitura poderá encontrar seu endereço na caixa de papelão e enviar uma advertência por correio.

Em alguns prédios ou cidades, as regras são mais flexíveis, e os moradores acabam separando apenas o papel. Mas como a separação incorreta pode resultar em multas coletivas, os vizinhos ficam atentos caso alguém desrespeite as regras.

Há regras como não jogar lixo orgânico dentro de sacolas plásticas. No contêiner verde, é preciso jogar os restos de comida, frutas e legumes sem nenhuma proteção. Ou desmontar a caixa da televisão nova antes de jogá-la no contêiner azul, para que não ocupe muito espaço. É provável que um vizinho ou o administrador do condomínio deixe um bilhetinho no corredor do prédio ou na sua porta para reclamar da “infração”.

Em 2013, a Alemanha foi o país que mais reciclou lixo no mundo – 65% dos resíduos foram reaproveitados, segundo a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

As garrafas de vidro são descartadas em contêineres espalhados pelas ruas. Geralmente, haverá três: um para cada cor – garrafas brancas, verdes e marrons. Aos domingos e feriados, é proibido jogar as garrafas de vidro fora para que o barulho não incomode os moradores das redondezas. Ao lado, é comum ver tonéis da prefeitura ou de instituições de caridade para doação de roupas.

Alguns pontos específicos de coleta recebem rolhas, alumínio e baterias. Algumas vezes por ano, a prefeitura recolhe móveis e outros itens domésticos descartados pelos moradores no dia do “Sperrmüll”, quando pequenos “lixões” se formam em frente às casas.

A Alemanha também adota um sistema de retorno de garrafas de plástico e vidro recicláveis, conhecido como “Pfand”. O valor dos recipientes inclui um preço extra, entre 8 e 25 centavos de euro, que é resgatado pelo consumidor quando devolve a garrafa no supermercado.

É claro que para cumprir a tarefa de separar o lixo corretamente quem vive na Alemanha precisa de planejamento. Na internet, é possível consultar o “calendário anual do lixo” no seu bairro ou rua. Há dias específicos para descartar os diferentes tipos de resíduos. A vinda do caminhão de coleta tem data marcada.

Na coluna Alemanices, publicada às sextas-feiras, Karina Gomes escreve crônicas sobre os hábitos alemães, com os quais ainda tenta se acostumar. A repórter da DW Brasil e DW África tem prêmios jornalísticos em direitos humanos e sustentabilidade e vive há três anos na Alemanha.

FONTE: TERRA

Site desenvolvido por:

Logo da Arte de Designer - Agência WEB - www.artededesigner.com
Abrir whatsapp
Posso lhe ajudar?