O homem que cresceu no lixo e fez dele seu meio de vida
O homem que cresceu no lixo e fez dele seu meio de vida
5 de maio de 2017
Prefeitura retira mais de 150 toneladas de lixo de praia de Maceió após chuvas
Prefeitura retira mais de 150 toneladas de lixo de praia de Maceió após chuvas
2 de junho de 2017

Oito horas da manhã e …. Desliguei o alarme (7:00 h) do meu celular novo (meu melhor amigo de infância inseparável, vamos até ao banheiro juntos), levantei, calcei meus chinelinhos do superman, escovei os dentes com a sensacional pasta de dentes do comercial (que promete, praticamente, o surgimento de novos dentes perfeitos em minha boca), tomei um banho de 15 minutinhos (envolto em diversos produtos de higiene pessoal de marcas da modinha), me sequei, segui um ritual de embelezamento com cremes hidratantes específicos para cada área do meu corpo, passei os protetores solares (novamente, específicos para cada área do corpo), no cabelo apliquei camadas de cremes desfrisantes, restauradores e modeladores, vesti uma roupitcha da estação (coleção deste ano) e fui tomar café da manhã. O café da manhã dos campeões inclui uma frutinha (que já vem descascada e cortadinha do mercado), pãozinho integral (embalado individualmente, porque não tenho tempo de passar na padaria e não gosto de pão seco) e um suquinho de caixinha (mas, da pequenininha). Bom, eu poderia escrever um livro sobre minha rotina diária, mas essa não é bem a ideia desse texto. Atentem para os detalhes da descrição acima, reparem no número de produtos consumidos, pensem no número de embalagens utilizadas, na vida útil desses itens, para apenas uma hora da minha fictícia existência. A questão que permanece é: para onde vai tudo isso? Pro lixo! Mas, você sabe onde mora o lixo

Do luxo ao lixo, do lixo ao luxo

A responsabilidade de coletar, dispor e tratar o lixo da sua casa, de forma ambientalmente segura, é da prefeitura da sua cidade. Esse lixo pode ir para locais como: 1. Central de triagem de recicláveis; 2. Central de compostagem; 3. Aterro sanitário; e 4. Lixão.

aterro sanitário é um local que antes de levarem o lixo, teve o terreno preparado previamente, com o nivelamento de terra e com o selamento da base com argila e mantas de PVC (extremamente resistente). Com essa impermeabilização do solo, o lençol freático não será contaminado pelo chorume (a baba do lixo, um resíduo líquido formado a partir da decomposição de matéria orgânica). Este é coletado por drenos e encaminhado para um poço de acumulação. O chorume é jogado, novamente, sobre a massa de lixo aterrada, até que esteja adequado para ser destinado à estação de tratamento de efluentes. No aterro sanitário, o lixo é coberto diariamente, evitando a proliferação de vetores, o mau cheiro (ou bodum mesmo) e a poluição visual. O processo de triagem do lixo baseia-se na separação dos materiais que serão levados para a reciclagem, segundo suas características físicas e químicas. É uma etapa essencial no processo de reciclagem, o passo inicial para a geração de novos produtos. A triagem pode ser feita de maneira manual ou automática.

compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica em um material semelhante ao solo, a que se chama composto, e que pode ser utilizado como adubo. Um lixão é onde ocorre a disposição final de resíduos sólidos sem nenhuma preparação anterior do solo. Não tem nenhum sistema de tratamento do chorume, que penetra na terra, levando contaminantes para o solo e para o lençol freático. Animais convivem com o lixo a céu aberto, com pessoas coletando comida e materiais recicláveis para venda.

O lixo, então, não desaparece rapidamente após o caminhão coletá-lo na porta da sua casa. Enquanto a reciclagem se encarrega de torná-lo um novo produto, a compostagem torná-lo adubo, o que pode ser feito com o lixo que vai para o aterro? O desenvolvimento científico e tecnológico tá aí para isso também. Algumas tecnologias atuais permitem extrair a energia do lixo. Não é só o carro do Dr. Brown, dos filmes da trilogia “De volta para o futuro”, que pode ser abastecido com lixo. Os nossos também.

Maurício Cuba dos Santos Mamede, aluno do curso de Engenharia Mecânica da UNICAMP, viajou o mundo para saber sobre tais tecnologias e escreveu sua dissertação, intitulada “Avaliação econômica e ambiental do aproveitamento energético de resíduos sólidos no Brasil”. Ele foi até a Suécia para conhecer uma usina de biogás. Nesta, reatores anaeróbios processam a parte orgânica e biodegradável de resíduos domiciliares, gerando o biogás (uma mistura de gás metano e gás carbônico, com pequenas quantidades de gás sulfídrico), que pode ser utilizado como combustível para veículos ou ser empregado para geração de energia elétrica. Ainda na Suécia, Mamede acompanhou a incineração da parte seca dos resíduos.

A queima desses resíduos em uma caldeira, a 850 °C, pode gerar energia térmica que acionará uma turbina capaz de produzir energia elétrica. Por último, nosso pesquisador voltou para terras quentes e visitou Paulínia, uma cidadezinha do interior do estado de São Paulo. Lá, ele conheceu o CDR (combustível derivado de resíduo) que substitui o óleo combustível na indústria. Para sua produção, uma sequência de equipamentos mecânicos selecionam materiais com maior valor energético, como papel e plástico, removendo vidro e matéria orgânica (que pode comprometer a queima).

Essa é a história de para onde vai o seu lixo e para onde ele deveria ir. A busca pelo luxo (alto consumismo) pode nos banhar de lixo, em vários sentidos, entretanto, nosso lixo também pode nos levar ao luxo. Basta investirmos.

FONTE: Bayer Jovens

Site desenvolvido por:

Logo da Arte de Designer - Agência WEB - www.artededesigner.com
Abrir whatsapp
Posso lhe ajudar?